Atualizações do uso da Ivermectina para tratamento da COVID-19

Sabe aquele medicamento usado para tratamento de piolhos e pulgas? Isso mesmo! Existem alguns estudos clínicos sendo conduzidos para testar a eficácia e segurança do uso da Ivermectina para tratamento da COVID-19.


Mas por que tratar pacientes com COVID-19 com Ivermectina?


Pesquisadores australianos, lá em junho deste ano, mostraram que o tratamento com a Ivermectina em células de laboratório infectadas com SARS-CoV-2 foi capaz de diminuir a replicação do vírus dentro delas (1).

Mas este estudo apresentou algumas limitações: a dose utilizada era altíssima (sendo inviável seu uso em humanos) e o resultado foi obtido em células de laboratório, ou seja, na primeira etapa de testes de medicamentos, sendo necessário percorrer um longo caminho até chegar em testes com humanos.


Mas, como os testes estão muuuuito avançados e os estudos para se alcançar um medicamento eficaz para a COVID-19 continuam a todo o vapor, os pesquisadores já começaram a testar o tratamento com a Ivermectina em pacientes com COVID-19.


Até o momento, de acordo com o site https://www.clinicaltrials.gov/, 39 estudos clínicos com o uso da Ivermectina para tratamento da COVID-19 estão sendo conduzidos no mundo, dentre eles:

  • 12 completos – 6 com resultados mostrados;

  • 16 em fase de recrutamento de participantes;

  • 9 ainda não recrutaram participantes;

  • 2 ativos, mas não recrutando participantes;


A seguir, vou explicar alguns resultados que já foram disponibilizados, mas que estão esperando para serem revisados por outros cientistas.


Estudo 1- SAFETY AND EFFICACY OF THE COMBINED USE OF IVERMECTIN, DEXAMETHASONE, ENOXAPARIN AND ASPIRIN AGAINST COVID 19

Tradução: Segurança e eficácia do uso combinado de Ivermectina, Dexametasona, Exoparina e Aspirina contra COVID-19


Foi realizado um ensaio clínico prospectivo (quando a análise dos resultados é feita após o tratamento investigado) de centro único (realizado em um único lugar) executado no Hospital Eurnekian (Buenos Aires, Argentina) de maio de 2020 a julho de 2020.

Tratamento: 167 pacientes com COVID-19, incluindo 135 casos leves e 32 casos moderados a graves.

Contudo, o estudo não incluiu um grupo controle, ou seja, pacientes que não foram tratados com os medicamentos. A ausência de comparação dos dados apresentados com um grupo controle, dificulta a correta interpretação e conclusão dos resultados apresentados.

O quadro 1 mostra o tipo de tratamento que cada paciente com COVID-19 recebeu de acordo com a gravidade da doença.

Quadro 1: Diferentes tratamentos realizados nos pacientes com COVID-19 de acordo

com a gravidade da doença.


Resultados: dos 135 pacientes com casos leves, nenhum evoluiu para formas graves da doença e não precisaram de hospitalização. Dentre os 32 casos moderados a graves, um foi a óbito e os outros não apresentaram piora dos sintomas da doença;


Efeitos adversos: Foi observado em um paciente efeitos adversos no trato gastrointestinal, como úlceras.


Conclusões: Este estudo mostrou a redução da taxa de hospitalização em pacientes que foram tratados com a combinação de medicamentos descrita na fase precoce da doença (2).



Estudo 2 - COVID-19: IVERMECTIN PROPHYLAXIS IN ADULT CONTACTS

Tradução: COVID-19: uso de Ivermectina profilática em contatos de adultos


Foi realizado um estudo clínico testando o uso profilático da Ivermectina em 33 pessoas que testaram negativo para COVID-19, mas que tiveram contato com casos positivos da doença.


Tratamento: Foi realizada uma dose de Ivermectina uma vez ao dia e para homens com mais de 45 anos, duas doses no dia dois ou três.


Resultados: Os sintomas clínicos foram acompanhados durante 21 dias e nenhum dos participantes apresentaram manifestações da doença (3).


Aspectos negativos do trabalho: NÃO FOI REALIZADO TESTE MOLECULAR PARA DETECTAR A PRESENÇA DO VÍRUS EM NENHUM DOS PARTICIPANTES, ou seja, não há confirmação de que não estavam realmente infectados pelo novo coronavírus.



Estudo 3 - Effectiveness of Ivermectin as add-on Therapy in COVID-19 Management (Pilot Trial)

Tradução: Eficácia da ivermectina como terapia complementar no tratamento da COVID-19 (Teste piloto)


Este é um estudo piloto (consiste em um estudo em pequena escala, onde se testam os procedimentos e materiais e métodos propostos para uma pesquisa maior), realizado em um único centro (lugar), o Al-Shifa'a Hospital Center, localizado nos Emirados Árabes de primeiro de abril até o final de maio de 2020.

O ensaio foi realizado com 15 pacientes tratados com Ivermectina e outros 71 pacientes se enquadraram no grupo controle* (tratamento com azitromicina + hidroxicloroquina).

*Observação: Os autores do artigo explicam que os dados do grupo controle foram gerados de registros de pacientes que foram tratados com azitromicina e hidroxicloroquina e essa estratégia foi utilizada devido à dificuldade de uso de placebo nesses pacientes com COVID-19 e a preferência por melhorar o desenvolvimento de medicamentos para a COVID-19.


Tratamento: Os pacientes receberam uma dose única de Ivermectina no dia da internação como terapia complementar ao tratamento padrão do Ministério da Saúde do Iraque (Azitromicina e Hidroxicloroquina).


Resultados: Pacientes que receberam o tratamento com Ivermectina, apresentaram menor tempo de hospitalização e uma menor porcentagem de testes positivos ao longo do tempo, comparados aos pacientes do grupo controle (tratado com azitromicina e hidroxicloroquina). Não foi observado efeitos adversos em nenhum dos pacientes estudados.


Conclusões: O uso adicional de Ivermectina ao tratamento padrão utilizado em hospitais do Iraque (Azitromicina e Hidroxicloroquina), reduziu o tempo de internação e a carga viral dos pacientes. Contudo, os autores do artigo escreveram que estudos adicionais com maior número de pacientes e mais longo é necessário para validar esses resultados (4).



Conclusão geral dos estudos sobre Ivermectina para a COVID-19


Os resultados obtidos até o momento, nos mostram que a Ivermectina parece reduzir o tempo de hospitalização e reduz a porcentagem de pacientes que testam positivo para o coronavírus. Contudo, a falta de grupos controle nestes estudos, impedem que os resultados apresentados sejam conclusivos.

Além disso, a segurança do uso deste medicamento ainda está sendo investigada, sendo assim, se você apresentar qualquer sintoma relacionado à COVID-19, procure um médico e não se automedique!


Por Marina Caçador Ayupe em 01/11/2020.


Referências:


1. Caly L, Druce JD, Catton MG, Jans DA, Wagstaff KM. The FDA-approved drug ivermectin inhibits the replication of SARS-CoV-2 in vitro. Antiviral Res (2020) 178:3–6. doi: 10.1016/j.antiviral.2020.104787


2. Carvallo Héctor, Hirsch Roberto, Eugenia FM. SAFETY AND EFFICACY OF THE COMBINED USE OF IVERMECTIN, DEXAMETHASONE, ENOXAPARIN AND ASPIRIN AGAINST COVID 19. medRxiv (2020)1–10. doi: https://doi.org/10.1101/2020.09.10.20191619


3. Chang GA, Figueredo ANT. (PDF) COVID-19: IVERMECTIN PROPHYLAXIS IN ADULT CONTACTS. First Report on Health Personnel and Post-Exposure Prophylaxis. medRxiv (2020) doi:10.13140/RG.2.2.11985.35680/3


4. Gorial FI, Mashhadani S, Sayaly HM, Dakhil BD, AlMashhadani MM, Aljabory AM, Abbas HM, Ghanim M, Rasheed JI. Effectiveness of Ivermectin as add-on Therapy in COVID-19 Management (Pilot Trial) (preprint). medRxiv (2020) 2:2020.07.07.20145979. doi:10.1101/2020.07.07.20145979

1,008 visualizações

Posts recentes

Ver tudo