Elevador: o grande vilão?

Mensagem que vem circulando pelas redes:

Nossa análise: #Fake!


Ainda não há nenhum estudo que demonstre qual seria o local de maior responsabilidade pela propagação do SARS-CoV-2, seja em bairros de classes sociais mais altas ou baixas. No entanto, assim como qualquer outro espaço fechado e de uso coletivo, o elevador de #fato representa um espaço de maior risco de contágio pelo novo coronavírus, pois pessoas infectadas #realmente podem deixar o ar e as superfícies contaminadas por algumas horas [1, 2].

Por isso, para a utilização de elevadores ficam valendo as recomendações de higiene e segurança indicadas para espaços coletivos (evitar aglomerações, utilização de máscaras e higienização das mãos com álcool em gel). Além do mais, nenhum estudo relata um tempo de permanência de 7 dias do SARS-CoV-2 em superfícies metálicas, o que temos provado até o momento, é por um período de 72 h em aço inoxidável e de até 4 h em cobre [1].