Existe algum tipo sanguíneo com maior chance de infecção/morte/melhora na infecção pelo coronavírus?


Até o momento, somente um estudo (1) foi feito analisando a relação entre os tipos sanguíneos ABO e a infecção pelo coronavírus atual. “Relationship between the ABO Blood Group and the COVID-19 Susceptibility” (Relação entre os grupos sanguíneos ABO e a susceptibilidade à COVID-19) foi escrita por pesquisadores chineses estudando pessoas das cidades de Wuhan e Shenzhen. É importante destacar que está disponível como pré-publicação, ainda não tendo sido revisada por outros cientistas.

No artigo, é feita a distribuição de um grupo de 1775 pacientes do Hospital de Jinyintan em Wuhan que tiveram COVID-19 confirmado (incluindo 206 pacientes que morreram) entre os tipos sanguíneos A, B, AB e O.

Esses dados são comparados com a distribuição de tipos sanguíneos na população geral de Wuhan obtida por um outro estudo (2).


É observado que existe um aumento significativo na proporção de pessoas com tipo sanguíneo A infectadas e uma diminuição significativa para a população do tipo sanguíneo O.

O mesmo foi observado para a proporção de mortos. As proporções dos grupos B e AB não foram estatisticamente diferentes.

Seguindo esses dados, eles analisaram se existia uma diferença estatística no risco de infecção do grupo A em relação aos dos outros grupos não-A.

O que eles observam é uma correlação entre o aumento de risco do grupo A em relação aos grupos não-A.

Essa análise estatística é chamada Razão de probabilidade (Odds Ratio, OR em inglês).

Nela, observamos qual a proporção de pessoas com COVID-19 do tipo A, em relação ao tipo não A,

qual a proporção de pessoas saudáveis tipo A em relação ao tipo não-A,

e as dividimos uma pela outra, para ver se a chance de se obter A no grupo com COVID-19 é maior, menor ou independente do grupo saudável.

Se essa relação for igual a 1, as chances de se obter A no grupo infectado por COVID-19 é a mesma do grupo saudável. Se der maior que 1, a chance matemática é maior, e se der menor que 1, a chance de obter A é menor.

É importante ressaltar que em nenhum momento isso indica que exista causalidade entre ser do tipo sanguíneo A e ter risco aumentado. A correlação só diz que “no grupo do tipo A observado o risco é maior”. Existe uma diferença muito importante entre isso e “o aumento de risco é causado pelo tipo sanguíneo A”, já que a relação pode ser uma coincidência, ou ter uma outra causa externa comum.

Fazendo a mesma análise para o grupo O, observaram uma diminuição de risco de infecção:

O mesmo padrão foi observado quanto ao risco de morte de pacientes.

O grupo tentou repetir o estudo em mais dois hospitais, mas obteve amostras de pacientes pequenas, de 113 e de 285 em cada um deles. O padrão observado em Jinyintan pareceu se repetir, mas não tinha tamanho suficiente para ser conclusivo. Sendo assim, é possível que os resultados obtidos sejam um fenômeno que ocorreu somente dentro do hospital de Jinyintan.

Outro problema encontrado pelo estudo foi a falta de informações adicionais, como distribuição de idade, sexo e histórico médico. Desse modo, eles não puderam corrigir as análises levando em consideração se, por acaso, o grupo de pacientes tipo A era mais idoso, ou apresentava problemas respiratórios ou de coração anteriores. A distribuição desigual desses fatores no estudo poderia explicar a diferença observada, e caso houvesse a correção, pode ser que o aumento ou diminuição de risco deixassem de existir ou mudassem.

Levando isso em conta, é possível que exista um risco aumentado para algum grupo sanguíneo, mas é necessário fazer um estudo de uma escala muito maior, envolvendo outros países, que cheguem à mesma conclusão para que se possa fazer esse tipo de afirmação. De qualquer maneira, não é por esse estudo que se deve tomar menos cuidado caso pertença ao grupo sanguíneo de menor risco.


Por Letícia Kogachi.



Fontes:

1 - ZHAO, Jiao et al. Relationship between the ABO Blood Group and the COVID-19 Susceptibility. medRxiv, 2020. doi: https://doi.org/10.1101/2020.03.11.20031096


2 - Xu P, Xiong Y, Cao K. Distribution of ABO and RhD blood group among Healthy Han population in Wuhan. J Clin Hematol (China). 2015(28):837.




2,891 visualizações

COVID Verificado

Teremos um enorme prazer em tirar as suas dúvidas!

Escreva para nós!

  • Branco Facebook Ícone
  • Instagram
  • Branca ícone do YouTube

Você tem alguma dúvida sobre o COVID-19? 

arrow&v
arrow&v
Apoio
Entrega_Logo_Imuno-USP.png
Assine