Novo coronavírus e vírus HIV: irmãos separados na maternidade?

Mensagem que vem circulando pelas redes:

Nossa análise:


Esta é mais uma fake news! A mesma tem como base um artigo científico que foi publicado online e produzido por pesquisadores indianos que de #fato sugeriram haver semelhanças relevantes entre o novo coronavírus (SARS-CoV-2) e o vírus da AIDS, ou seja, o vírus HIV [1]. No entanto, após ser lido, revisado e criticado por especialistas da área, o artigo científico em questão foi retirado do ar pelos próprios autores, dentre eles o pesquisador Bishwajit Kundu, por conter erros de análise e metodológicos suficientes para não ser possível confiar em seus resultados. Uma vez que, outros cientistas tentaram reproduzir seus dados e não conseguiram encontrar os resultados descritos por Bishwajit Kundu e seu grupo de pesquisa [2].

Na verdade, as tais 4 inserções descritas não são exclusivas do SARS-CoV-2, aparecendo também em outros coronavírus, e poucos exemplares do vírus HIV apresentam semelhança com essas inserções. Além do mais, a possibilidade de reinfecção pelo SARS-CoV-2 ainda está sob investigação pelos cientistas e, o que temos até o momento, é que após curados da COVID-19, os pacientes não apresentam mais material genético do vírus suficiente para ser detectado nos exames, sugerindo assim que há a eliminação do SARS-CoV-2 do organismo das pessoas curadas.

Quanto a infecção de linfócitos T pelo novo coronavírus, realmente há um trabalho publicado na revista científica Cellular & Molecular Immunology (Nature), que demonstra a habilidade do SARS-CoV-2 de infectar esta importante célula do sistema imune, porém, assim como o coronavírus causador da MERS, após infectar os linfócitos T o novo coronavírus induz a morte destas células [3], sugerindo então ser pouco provável que o SARS-CoV-2 fique “escondido” nos linfócitos T, pois ele parece provocar a morte deste tipo de célula, diferentemente do vírus da AIDS!

Ou seja, resumidamente, até o momento o novo coronavírus apresenta alta semelhança apenas com outros coronavírus, não possuindo relação significativa com o vírus HIV, bem como, com a biologia do mesmo!


Por Renato da Silva Cardoso em 13/05/2020.



Referências:


[1] PRADHAN, Prashant et al, Uncanny similarity of unique inserts in the 2019-nCoV spike protein to HIV-1 gp120 and Gag, bioRxiv, p. 2020.01.30.927871, 2020.

DOI: https://doi.org/10.1101/2020.01.30.927871


[2] XIAO, Chuan; LI, Xiaojun; LIU, Shuying; SANG, Yongming; GAO, Shou-jiang; GAO, Feng. HIV-1 did not contribute to the 2019-nCoV genome. Emerging Microbes & Infections, [s.l.], v. 9, n. 1, p. 378-381, 1 jan. 2020. Informa UK Limited. http://dx.doi.org/10.1080/22221751.2020.1727299;


[3] WANG, Xinling; XU, Wei; HU, Gaowei; XIA, Shuai; SUN, Zhiping; LIU, Zezhong; XIE, Youhua; ZHANG, Rong; JIANG, Shibo; LU, Lu. SARS-CoV-2 infects T lymphocytes through its spike protein-mediated membrane fusion. Cellular & Molecular Immunology, [s.l.], p. 1-6, 7 abr. 2020. Springer Science and Business Media LLC. http://dx.doi.org/10.1038/s41423-020-0424-9;

69 visualizações

COVID Verificado

Teremos um enorme prazer em tirar as suas dúvidas!

Escreva para nós!

  • Branco Facebook Ícone
  • Instagram
  • Branca ícone do YouTube

Você tem alguma dúvida sobre o COVID-19? 

arrow&v
arrow&v
Apoio
Entrega_Logo_Imuno-USP.png
Assine